O Evangelho segundo Allan Kardec

kardec

O francês Allan Kardec foi o criador da Doutrina Espírita e um dos pioneiros na pesquisa científica sobre a mediunidade.

Em 1864, Allan Kardec publicou o livro “O Evangelho segundo o Espiritismo“, que é tida como uma das obras básicas da Doutrina Espírita, sendo a que mais dar enfoque às questões comportamentais, religiosas e éticas.

A reedição de 1868 do livro é a seguida pelos Espíritas de todo o mundo. Nesta edição, Kardec fez alterações, que foram guiadas por bons Espíritos.

Neste livro, os evangelhos da Bíblia são vistos sob os dogmas do Espiritismo.

O Evangelho de Allan Kardec é dividido em cinco partes, que são:

Os atos ordinários da vida de Jesus;

  • Os milagres;
  • As predições
  • As palavras que serviram de base aos dogmas
  • Os ensinamentos morais
  • maes

A obra de Kardec não pretende ser uma “Bíblia Espírita”, mas sim extrair dos Evangelhos Canônicos princípios éticos e morais que estão de acordo com o que é defendido pelo Espiritismo.

Os objetivos do Evangelho segundo o Espiritismo

O Evangelho segundo Allan Kardec pretende colocar ao alcance de todos as passagens da Bíblia que podem se constituir em um código de moral universal, que não distingue culto ou crença.

Na introdução do livro, Kardec enfatiza que os escritos buscam trazer os ensinamentos de Cristo para situações cotidianas, que ocorrem na vida de todas as pessoas.

Isso porque, diversas passagens dos Evangelhos bíblicos são incompreensíveis ou parecem absurdas, pois falta uma chave que dê a compreensão do que deve ser dito, e é essa válvula explicativa que os escritos de Kardec pretende ser.

O livro foi escrito com a com a ajuda de bons Espíritos, sendo as instruções recebidas a partir de diversos médiuns a “voz do céu” que esclarece e convida a viver de acordo com os preceitos deixados por Jesus.

 A Doutrina Espírita

A Doutrina Espírita não é uma concepção puramente humana. Bem como, os Espíritos também não se revelaram a apenas uma pessoa, pelo contrário eles se manifestaram a partir de várias pessoas por meio de médiuns de todo o mundo.

Se houvesse apenas um interprete, talvez a Doutrina Espírita não fosse tão conhecida ou não tivesse tantas pessoas buscando a espiritualidade a partir dela.

A universalidade do ensino dado pelos Espíritos, que se entende a todas as seitas, povos, raças e classes sociais, é que faz a força da Doutrina.

As pessoas podem seguir outra religião e, ainda assim, buscar consolo na Doutrina Espírita, seja em seus preceitos ou na busca de instruções de entes queridos que já desencarnaram dessa vida.

O Espiritismo não se coloca como uma verdade absoluta, pois não se considera infalível. Ao invés disso, esta Doutrina busca a concordância.

Os dogmas do Espiritismo

O Espiritismo difundido por Allan Kardec possui uma natureza religiosa, cientifica e filosófica. Veja abaixo alguns dos dogmas da Doutrina Espírita:

Deus é a causa primária de todas as coisas e inteligência suprema do universo;

Devemos amar a Deus sobre todas as coisas;

O homem possui uma tríplice natureza, constituída de: espírito, períspirito e corpo material;

O espírito preexiste ao corpo, que é a matéria que serve somente para experiências evolutivas no mundo material;

A morte é quando o espírito desencarna e desprende do corpo material, que se torna inútil seja pela doença, velhice ou acidente grave;

As encarnações são sucessivas e progressivas e continuam a partir da evolução espiritual e moral do ser até que se alcance elevados estágios de perfeição;

A reencarnação traz consigo as causas e consequências da vida anterior. Isto é, o que somos hoje é o resultado do que fomos no passado, e assim será nas outras vidas;

Os Espíritos influenciam os homens e podem se comunicar com ele a partir das várias formas de mediunidade, como a: incorporação, intuitiva, materialização, vidente, audição, efeitos físicos e etc.

Os homens também podem influenciar os Espíritos que estão próximos à terra, podendo atraí-los, de forma consciente ou inconsciente, orientá-los e doutriná-los durante sessões de Espiritismo;

Cada um de nós possui um Espírito Protetor ou Guia Espiritual, que é o chamado Anjo da Guarda em outras religiões. Esse Espírito, com o amparo de outros Espíritos amigos, busca nos auxiliar em nossa jornada terrena. Mas, da mesma forma, podemos sofrer influência de espíritos inferiores de adversários e inimigos de vidas passadas;

O homem se liberta da influência de más influências pela prática do bem, e também ajuda seus inimigos a evoluírem;

A lei da causa e efeito está presente em toda nossa trajetória, tanto material quanto moral e espiritual. A salvação está nas mãos de cada um;

A caridade é a principal lei de evolução espiritual. Contudo, não se traduz pela distribuição de esmolas, mas sim a partir do amor ao próximo. Fora da caridade não há salvação;

O Universo é habitado infinitamente. Não conhecemos os habitantes os habitantes dos outros mundos, mas eles se ligam a nós pela lei da solidariedade universal.