Conselhos para progredir na sua espiritualidade segundo a bíblia e o espiritismo

Read More
espiritualidade

A espiritualidade consiste no desejo de encontrar um significado para vida por meio de ideias e concepções que podem transcender aquilo que é tangível.

A busca pela espiritualidade exige transformações profundas na vida, que não necessariamente estão ligadas a uma religião, mas pode sim ser alcançada por esse meio.

A espiritualidade pode ser construída e alcançada a partir do Espiritismo, se a pessoa se sente bem com os dogmas da doutrina espírita. Neste sentido, o Espiritismo foi criado por Allan Kardec, sendo uma doutrina compreende ciência, filosofia e religião.

Em concordância com as máximas morais de Cristo e o Novo Testamento, Allan Kardec escreveu com a inspiração de Espíritos de Luz, em 1864, o livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo“.

O livro mostra a relação dos escritos da Bíblia com os preceitos do Espiritismo e como pode se aplicar às diversas circunstâncias da vida.

Vejamos 5 ensinamentos bíblicos em concordância com princípios espiritas que devem ser seguidos para que haja progressão da espiritualidade:

Ore e medite

O Espiritismo prega que antes de iniciar as atividades diárias, devemos comungar com o Senhor, através da meditação e oração.

A conexão com Deus é feita pelo pensamento e ajuda a manter a mente equilibrada, o que reflete na saúde do corpo.

A Bíblia possuí várias passagens que destacam o poder da oração, como o de Tiago 5:16, que diz que é preciso que que os pecados sejam confessados pela oração. A oração dos justos é eficaz e poderosa.

Exercite o amor

A Bíblia em 1 Coríntios 13:4-7 nos ensina que o amor é paciente, bondoso, não sente inveja, se vangloria ou maltrata. O amor não guarda rancor, não compreende injustiça e deve ser baseado na verdade. O amor tudo crê, sofre e espera.

Já as palavras de Jesus foram “amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei” (João 13:34).

Com isso, o Espiritismo compactua com essa ideia, pois prega que o amor deve ser um exercício diário, que deve ser praticado mesmo que exija sacrifícios e, por vezes, não seja retribuído.

 

O amor resume toda a doutrina de Jesus e eleva a espiritualidade e traz bons fluídos aqueles que o praticam.

Fique longe de mentiras e calúnias

A mentira e a calúnia trazem energias negativas tanto para quem fala quanto para quem escuta.

A Bíblia prega em Tito 3:2 que devemos ser pacíficos e amáveis e não caluniar ninguém, ao invés disso devemos ter um espírito pacífico diante de nossos semelhantes.

Já a doutrina espírita compactua da ideia de que devemos preservar nossos ouvidos de calúnias e também não devemos incentivar fofocas. Tudo que é falado ou ouvido deve ser para a construção do bem.

Para desenvolver a espiritualidade devemos nos afastar de tudo que nos faz mal e traz energia negativa à nossa vida.

Fora da caridade não há salvação

Este é o famoso lema do Espiritismo. Para progredir em nossa espiritualidade, é preciso se doar ao próximo, compartilhar bens materiais e conhecimento.

O amor a Deus e a evolução espiritual pode ser provado diariamente a partir de ações de bondade com o próximo.

Esta passagem da Bíblia compactua com esse preceito: Em 1 João 3: 17-18 está que se uma pessoa tem recursos matérias e ver seu semelhante passando necessidade, nessa pessoa não há o amor de Deus. O amor não deve ser da boca pra fora e em bonitos discursos, mas comprovado em ações.

Então fale menos e faça mais.

Perdoe aos outros e a si mesmo

Para o Espiritismo, perdoar não é esquecer, e sim diluir a mágoa, ressentimento e sentimentos ruins que o fato causou.

Se não houver perdão, você ficará atrelado à energia ruim do acontecimento passado, e isso não é bom para a alma e desenvolvimento da espiritualidade.

É preciso perdoar e se libertar de toda a carga negativa.

Este versículo bíblico resume a importância do perdão. O versículo de Mateus 18 21-22 conta a parábola de quando Pedro pergunta a Jesus quantas vezes ele deve perdoar um irmão. E Jesus responde que o perdão deve ocorrer setenta vezes sete vezes.

O perdão é divino e transforma o mal em uma coisa boa.

O que podemos aprender com Jesus e Chico Xavier

Read More
jesus

Muito se fala sobre os ensinamentos de Jesus Cristo. A vivência, deste homem que foi o maior um líder espiritual de todos os tempos deve ser tida como fonte constante de aprendizado.

As lições e exemplos deixados devem ser a inspiração para uma vida repleta de bondade e amor. Vejamos algumas coisas que Jesus nos ensinou:

1. Amor ao próximo e comunhão

Jesus pregava o amor aos nossos semelhantes. Quando ele fala “Amai ao próximo como a si mesmo”, quer dizer que devemos tratar e fazer as coisas aos outros da mesma maneira que gostaríamos que fizessem e agissem com a gente.

Jesus também nos ensinou a dividir e compartilhar nossos bens e aprendizados com aqueles que necessitam. Isso traz a verdadeira felicidade, e não o acumulo de riquezas.

2. Todos são iguais perante a Deus

Jesus possuía um senso de justiça e igualdade aguçado. Ele tratava todos da mesma forma, sendo ricos ou pobres.

Com isso, Jesus nos ensina que não devemos distinguir as pessoas pela raça, cor, gênero, posição social e etc.

3. Ninguém tem o poder de julgar o seu próximo

Quando Jesus fala às pessoas que queriam atirar em Maria Madalena “Quem nunca pecou que atire a primeira pedra”, ele nos ensina que não estamos da terra para julgar os atos de nossos semelhantes.

Em nossa vida devemos perdoar o que nos fizeram mal, pois o julgamento será feito por Deus.

Deixo a indicação do excelente curso de teologia que me fez aprender muito mais sobre Jesus e teologia.

4. Amar e deixar as pessoas livres

Com Jesus aprendemos a amar nossos semelhantes, mas esse amor deve ser sem imposição, ameaças ou obrigações.

Apesar do amor que sentimos pelas pessoas, cada um deve ser responsável pela escolha de seu caminho e ser livre para isso.

5. Fé e paciência em Deus

Jesus nos ensina a paciência, a resiliência de suportar os momentos ruins, assim como ele suportou a crucificação, pois uma hora tudo de ruim irá terminar e iremos desfrutar do paraíso.

Temos de aceitar a vontade de Deus, assim como Jesus aceitou e ter fé no que Ele guarda para nós.

Chico Xavier: uma vida dedicada a ajudar ao próximo

Seguindo os ensinamentos de Jesus, Chico Xavier também nos deixou muitas lições de amor, compreensão, caridade, solidariedade e perseverança

Chico Xavier foi, certamente, um dos maiores expoentes do Espiritismo e um grande líder espiritual. Mesmo após a sua morte, em 2002, sua obra ainda é bastante revisitada e seus ensinamentos levados à diante.

Vejamos alguns ensinamentos de Chico Xavier:

1. Estamos na vida de passagem e devemos fazer o bem

Chico Xavier dizia que a vida verdadeira é espiritual, e que a vida que temos hoje é um caminho de renovação em uma breve passagem pela Terra.

Ao desencarnamos dessa vida, teremos uma vida que será o reflexo de nossas atitudes e sentimentos.

Assim, nosso amor a Deus, deve ser provado pelas nossas atitudes com nossos irmãos.

Não adianta recitar versículos da Bíblia e não sermos condescendentes com as pessoas e com os animais.

2. A caridade é o caminho para a evolução espiritual

O exercício da caridade é uma das maiores lições deixadas por Chico Xavier.

Praticar o bem deve ser um ato de amor e desprendimento. Isto é, não se deve esperar nada em troca ou em retorno.

A caridade faz bem para a alma e é um exercício espiritual, que faz com que as pessoas evoluam e engradeçam sua caminhada na Terra.

3. O perdão nos livra de sentimentos ruins

Em seus ensinamentos, Chico Xavier dizia que em nossa passagem pela Terra estamos sujeitos a erros e acertos.

Enquanto não perdoamos ficamos ligados ao mal que nos foi feito. Por isso, perdoar é um dom divino que devemos trabalhar constantemente para nossa evolução.

4. O amor é o sentimento que deve mover nossa existência

Devemos amar mesmo que o amor seja submetido a sacrifícios, provas e até mesmo ser rejeitado. Ninguém perde por dar amor, sejam as pessoas, aos animais ou a natureza.

O amor não deve prender, mas libertar, e precisa ser desprovido de apegos e cobranças.

5. Perseverança e fé nos momentos difíceis

A fé é o caminho da verdade em nossa vida. E é a fé que nos dar perseverança e sabedoria para aguentar os percalços e dificuldades do dia-a-dia.

Ainda que estejamos passando por um momento difícil, devemos seguir em frente e crer que tudo irá passar e, com a vontade de Deus, teremos dias de glória.

Na essência, os ensinamentos de Chico Xavier seguem tudo aquilo que Jesus pregou.

Nessas afirmações se encontram o segredo de uma vida mais harmoniosa e feliz na Terra. Cabe somente a nós a escolha por nossos atos.

Como o Espiritismo interpreta a Bíblia

Read More
espiritismo e a biblia

O Espiritismo é tido como uma doutrina natural, que pode ou não ser interpretada coo religião. Além de religioso, o Espiritismo tem caráter filosófico e científico.

Como religião, o Espiritismo se considera cristã, pois segue os ensinamentos passados por Jesus.

Contudo, algumas religiões judaico-cristãs contestam essa classificação do Espiritismo, pois, ainda que propague os valores cristãos, a Doutrina Espírita rejeita diversos postulados Bíblicos e teológicos característicos do cristianismo.

Ainda que o Espiritismo considere Jesus como o maior exemplo moral e ético da sociedade, o Espiritismo não concede caráter divino.

Outro ponto que o Espiritismo diverge do Cristianismo, é em relação à Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo). Os espiritas acreditam somente na unicidade e existência de Deus.

O Cristianismo também não vê com bons olhos a reencarnação pregada pelo Espiritismo e a mediunidade que permite a comunicação entre Espíritos encarnados e Espíritos desencarnados.

A Bíblia à luz do Espiritismo

O Evangelho, que é a designação mais comum do Novo Testamento é uma reunião de vários escritos sobre a vida e ensinamentos de Jesus Cristo.

Engana-se quem pensa que o Espiritismo busca contrariar ou reformar o Evangelho. A finalidade desta Doutrina é esclarecer os ensinamentos de Jesus levando em consideração a mentalidade moderna e acontecimentos que são comuns à vida de todos os homens.

Portanto, desde “O Livro dos Espíritos” (1857), que Allan Kardec ao analisar as contradições entre a explicação da Bíblia para a criação do mundo e as explicações científicas, conclui que a Bíblia não é um erro, e sim que os homens se enganaram na interpretação.

Estes preceitos também estão dispostos em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, lançado na França em 1864, que busca preceitos concomitantes com o Espiritismo nos Evangelhos Canônicos, isto é Mateus, Marcos, Lucas e João.

Deve-se reconhecer a natureza profética, isto é, mediúnica da Bíblia, que começa com Moisés (Primeira Revelação), é definida com Jesus (Segunda Revelação) e é encerrada com o Espiritismo (Terceira Revelação).

Entretanto, o conceito de “Revelação”, para o Espiritismo, é diferente das outras religiões. Para os espíritas, a revelação está relacionada com ensinamentos, que pode ser praticado pelos Espíritos, a chamada revelação divina ou pelos homens, a revelação humana. A revelação não pode acontecer através de Deus em pessoa, pois Deus a partir dos Espíritos e de suas leis.

Assim, a Doutrina Espírita compreende que a revelação da Bíblia não pode ser denominada de “palavra de Deus”, pois o que está escrito é a palavra dos Espíritos-Reveladores, sendo estes escritos adequados ao tem em que foram proferidos.

O termo “palavra de Deus” é de origem judaica e foi incorporado pelo Cristianismo para conceder autoridade à Igreja e conceder uma espécie de “poderes mágicos” à leitura da Bíblia.

O Espiritismo não compactua com esta opinião, mas também não condena essa pratica. Cada pessoa deve fazer o que considera como mais adequado, desde que tenha boa intenção.

Para os espíritas, a Bíblia não pode ser considerada a “palavra de Deus”, por se tratar de um conjunto de livros escrito por homens. Desse modo, a Doutrina Espírita ensina a ver a Bíblia como um marco de evolução religiosa da Terra, mas não a vê como sagrada, tal quais outras religiões baseadas no Cristianismo.

 A Bíblia condena o Espiritismo?

Não. A Bíblia não condena o Espiritismo, pelo contrário, os livros da Bíblia são os maiores repositórios de fatos e situações espiritas de toda a bibliografia relacionada à religião.

Assim, a Bíblia confirma o Espiritismo. Um exemplo disso é Samuel que estava atormentando pelo espírito mau e foi aliviado somente com mediunidade de Davi que, com a música afasta o espírito (Samuel 16: 14-23). Esta situação é a típica mediunidade curadora.

A tese que as religiões possuem uma origem mediúnica é provada por pesquisas etnológicas e antropológicas. Em Atos 7:53, Paulo declara que “Vós recebestes a lei por mistérios dos anjos”. Está claro que esses anjos são espíritos reveladores das leis de Deus, como crê o Espiritismo.

Se a Bíblia condenasse o Espiritismo, estaria condenando a si mesmo.

Mesmo assim, muitas seitas religiosas fazem uma campanha feroz contra o Espiritismo, por achar que a mediunidade é coisa do demônio ou por considerar que os espíritas têm medo da Bíblia.

Desse modo, só o conhecimento adquirido com estudo que pode acabar com esses estereótipos em relação ao Espiritismo e as manifestações mediúnicas.

 

O Evangelho segundo Allan Kardec

Read More
kardec

O francês Allan Kardec foi o criador da Doutrina Espírita e um dos pioneiros na pesquisa científica sobre a mediunidade.

Em 1864, Allan Kardec publicou o livro “O Evangelho segundo o Espiritismo“, que é tida como uma das obras básicas da Doutrina Espírita, sendo a que mais dar enfoque às questões comportamentais, religiosas e éticas.

A reedição de 1868 do livro é a seguida pelos Espíritas de todo o mundo. Nesta edição, Kardec fez alterações, que foram guiadas por bons Espíritos.

Neste livro, os evangelhos da Bíblia são vistos sob os dogmas do Espiritismo.

O Evangelho de Allan Kardec é dividido em cinco partes, que são:

Os atos ordinários da vida de Jesus;

  • Os milagres;
  • As predições
  • As palavras que serviram de base aos dogmas
  • Os ensinamentos morais
  • maes

A obra de Kardec não pretende ser uma “Bíblia Espírita”, mas sim extrair dos Evangelhos Canônicos princípios éticos e morais que estão de acordo com o que é defendido pelo Espiritismo.

Os objetivos do Evangelho segundo o Espiritismo

O Evangelho segundo Allan Kardec pretende colocar ao alcance de todos as passagens da Bíblia que podem se constituir em um código de moral universal, que não distingue culto ou crença.

Na introdução do livro, Kardec enfatiza que os escritos buscam trazer os ensinamentos de Cristo para situações cotidianas, que ocorrem na vida de todas as pessoas.

Isso porque, diversas passagens dos Evangelhos bíblicos são incompreensíveis ou parecem absurdas, pois falta uma chave que dê a compreensão do que deve ser dito, e é essa válvula explicativa que os escritos de Kardec pretende ser.

O livro foi escrito com a com a ajuda de bons Espíritos, sendo as instruções recebidas a partir de diversos médiuns a “voz do céu” que esclarece e convida a viver de acordo com os preceitos deixados por Jesus.

 A Doutrina Espírita

A Doutrina Espírita não é uma concepção puramente humana. Bem como, os Espíritos também não se revelaram a apenas uma pessoa, pelo contrário eles se manifestaram a partir de várias pessoas por meio de médiuns de todo o mundo.

Se houvesse apenas um interprete, talvez a Doutrina Espírita não fosse tão conhecida ou não tivesse tantas pessoas buscando a espiritualidade a partir dela.

A universalidade do ensino dado pelos Espíritos, que se entende a todas as seitas, povos, raças e classes sociais, é que faz a força da Doutrina.

As pessoas podem seguir outra religião e, ainda assim, buscar consolo na Doutrina Espírita, seja em seus preceitos ou na busca de instruções de entes queridos que já desencarnaram dessa vida.

O Espiritismo não se coloca como uma verdade absoluta, pois não se considera infalível. Ao invés disso, esta Doutrina busca a concordância.

Os dogmas do Espiritismo

O Espiritismo difundido por Allan Kardec possui uma natureza religiosa, cientifica e filosófica. Veja abaixo alguns dos dogmas da Doutrina Espírita:

Deus é a causa primária de todas as coisas e inteligência suprema do universo;

Devemos amar a Deus sobre todas as coisas;

O homem possui uma tríplice natureza, constituída de: espírito, períspirito e corpo material;

O espírito preexiste ao corpo, que é a matéria que serve somente para experiências evolutivas no mundo material;

A morte é quando o espírito desencarna e desprende do corpo material, que se torna inútil seja pela doença, velhice ou acidente grave;

As encarnações são sucessivas e progressivas e continuam a partir da evolução espiritual e moral do ser até que se alcance elevados estágios de perfeição;

A reencarnação traz consigo as causas e consequências da vida anterior. Isto é, o que somos hoje é o resultado do que fomos no passado, e assim será nas outras vidas;

Os Espíritos influenciam os homens e podem se comunicar com ele a partir das várias formas de mediunidade, como a: incorporação, intuitiva, materialização, vidente, audição, efeitos físicos e etc.

Os homens também podem influenciar os Espíritos que estão próximos à terra, podendo atraí-los, de forma consciente ou inconsciente, orientá-los e doutriná-los durante sessões de Espiritismo;

Cada um de nós possui um Espírito Protetor ou Guia Espiritual, que é o chamado Anjo da Guarda em outras religiões. Esse Espírito, com o amparo de outros Espíritos amigos, busca nos auxiliar em nossa jornada terrena. Mas, da mesma forma, podemos sofrer influência de espíritos inferiores de adversários e inimigos de vidas passadas;

O homem se liberta da influência de más influências pela prática do bem, e também ajuda seus inimigos a evoluírem;

A lei da causa e efeito está presente em toda nossa trajetória, tanto material quanto moral e espiritual. A salvação está nas mãos de cada um;

A caridade é a principal lei de evolução espiritual. Contudo, não se traduz pela distribuição de esmolas, mas sim a partir do amor ao próximo. Fora da caridade não há salvação;

O Universo é habitado infinitamente. Não conhecemos os habitantes os habitantes dos outros mundos, mas eles se ligam a nós pela lei da solidariedade universal.